Como adaptar seu site de notícias para celular

Há anos os celulares tem feito cada vez mais parte da rotina dos brasileiros. Mas, em 2020 com a pandemia de Covid-19, o tempo que passamos nele cresceu significativamente. E é claro que essa mudança influencia na forma como lemos notícias. Saiba como adaptar seu site de notícias para celular.

Pesquisa divulgada pelo App Annie, mostra que em 2020 o brasileiro aumentou em uma hora a média de tempo que passa no celular. Eram 3,8 horas por dia em 2019, chegando a 4,8 horas por dia em 2020. O Brasil só perde pra Indonésia no ranking de países que mais passam tempo no celular.

Com tanto tempo no celular, a forma como a população consome notícias também mudou. O jornalismo precisa se adaptar à nova realidade, que inclui textos mais curtos, objetivos e, principalmente, ter site de notícias para celular.

Responsivo

Ter um site que se adapta à leitura em celulares, computadores ou em tablets é algo básico para quem busca ter mais visibilidade e alcance. Essa adaptação significa que o site é responsivo, ou seja, que ele pode ser acessado a partir de qualquer plataforma sem apresentar desconfigurações.

O site responsivo também colabora para o posicionamento no Google, que prioriza sites adaptáveis às diferentes plataformas. Ter um bom rankeamento no Google certamente garante mais visibilidade e acesso. O site responsivo também tem como característica a rapidez no carregamento em smartphones, situação que pode ganhar ou perder o leitor.

Experiência do usuário

Em 2020 o Google anunciou que a partir deste ano, a experiência do usuário seria fator decisivo para rankeamento de links. Isso significa que sites precisam oferecer aos leitores um ambiente mais agradável para a navegação.  

O Google anunciou que a remoção da tecnologia Accelerated Mobile Pages (AMP) dos Top Stories para busca por celulares e as métricas de experiência de páginas também serão critério para posicionar as notícias durante a busca.

Porém, apesar de defender uma melhor performance dos sites em celulares, a qualidade do conteúdo segue sendo fator essencial no rankeamento. O buscador afirma que a boa experiência na página não substitui o conteúdo, que deve ser relevante e excelente. E, claro, atender as métricas já exigidas pelo Google. 

Mobile First

Tudo o que foi apontado até agora, como sites responsivos e a experiência do usuário no Google, está enquadrado no conceito de Mobile First. Neste modelo se considera sempre a experiência do usuário ao navegar a partir de dispositivos móveis.

O Mobile First não é novo, mas segue sendo importante. O foco dos projetos está na arquitetura e no desenvolvimento de sites para web no formato móvel primeiro. Vai além de um site simplesmente abrir em celulares, mas inclui que este seja o principal modelo a ser pensado. O modelo, as imagens a serem carregadas, a velocidade e também as redes sociais, são itens importantes no conceito de Mobile First.