Conheça o formato Berliner para impresso

Sites de notícias dominam o mercado atual de jornalismo, mas jornais impressos de veículos tradicionais ainda resistem. Diferentes da versão online, o impresso entrega aos leitores reportagens menos factuais e mais elaboradas. Para otimizar a experiência do leitor, o formato Berliner tem ganhado espaço em grandes países e no Brasil.

No Brasil dois formatos são os principais utilizados por impressos. O standard é o mais popular e característico por ser grande, onde é possível até se esconder atrás do jornal, típico formato dos jornais que dobra no meio e muito representado em filmes. O outro formato é o tabloide, bem menor, de leitura fácil, usado por veículos com tendências mais sensacionalistas e também na promoção de produtos de supermercados.

Diferenciais do Berliner

O formato Berliner surgiu na Alemanha no século 20, como um meio termo entre o standard e o tabloide. Seu tamanho intermediário é mais fácil de manusear, tendo 31,5 cm por 47 cm, mantém o formato standart, mas mais moderno e prático para os leitores.

No Brasil, o formato tabloide está associado a jornais de cunho mais sensacionalistas. Pois é geralmente o modelo utilizado por veículos que costumam expor notícias mais violentas e apelativas. O standard apesar do conceito de credibilidade, costuma ser grande e difícil de ler, o que faz com que o formato Berliner desponte pela facilidade e modernidade.

Estadão adota modelo após 146 anos

Em 17 de outubro de 2021 o Estadão decidiu mudar seu jornal impresso e adotar o formato Berliner. O veículo, um dos maiores do país, afirma que tomou a decisão após um longo período de pesquisas e consultorias. A  mudança tornará o jornal mais moderno, mantendo a credibilidade de seus quase 150 anos na ativa.

Em seu site, o jornal afirmou que além do formato da edição impressa, revisou o conteúdo. Dessa forma, passa a entregar ao leitor um jornal com mais variedade de conteúdo e foco em editorias importantes, como política. Ressalta ainda seu compromisso com a seriedade do jornalismo. 

Impressos internacionais que aderiram

Por inovação ou economia de papel, vários jornais de todo o mundo aderiram ao formato Berliner. No início o formato começou a ser utilizado pelos suecos em suplementos, como gastronomia, turismo e cultura. Em 2005, o britânico Guardian adotou o formato e foi seguido por outros jornais locais.

França, Itália e Portugal também aderiram ao formato Berliner, com os veículos  Le Monde,  Le Figaro, La Stampa, La Repubblica e o Expresso. Hoje o formato também é adotado na Coreia do Sul, pelo diário JoongAng Ilbo, e pelo principal jornal de língua inglesa dos Emirados Árabes, o Gulf News.

Na América Latina, o jornal El Comercio, de Lima, mudou para o germânico recentemente, assim como o La Nación, da Argentina, e os chilenos La Tercera e El Mercurio.