Google Pinpoint: ferramenta para jornalismo investigativo

Investigações jornalísticas exigem tempo e disposição dos repórteres, que precisam ler muito conteúdo, fazer várias pesquisas e entrevistas, na busca pela informação. Para facilitar a rotina desses profissionais, o maior buscador do mundo lançou o Google Pinpoint, que  agiliza a triagem de dados de pesquisas jornalísticas. 

O acesso à ferramenta é gratuito e exige apenas uma conta Google. No primeiro acesso o usuário terá de solicitar a participação, como única restrição imposta pelo buscador. Depois disso é só usar o Google Pinpoint para subir arquivos na nuvem, fazer buscas avançadas e até transcrever áudios automaticamente.

Diferenciais

O Google Pinpoint tem como slogan “Desbloquear histórias escondidas”, dando a oportunidade de explorar e analisar grandes coleções de documentos. A principal proposta da ferramenta é facilitar a busca em diversos documentos, que podem ser manuscritos, imagens, arquivos de e-mail, PDFs entre outros.

A ferramenta identifica os arquivos digitais e os assimila e estruturados automaticamente pela plataforma. É uma forma inteligente de localizar as informações que o jornalista precisa, em diversos materiais e apresentando os resultados mais interessantes, independente do formato em que estiver. 

Outro diferencial é que o Google Pinpoint pode transcrever arquivos de áudio e então fazer a busca neles. Economia de tempo precioso para o jornalista investigativo que passa horas decupando áudios ou fazendo busca.

Banco de dados extenso

Além da possibilidade de criar uma pasta de arquivos privativa, ou compartilhada apenas com contatos selecionados, o Google Pinpoint oferece a oportunidade para que jornalistas tenham acesso a bancos de dados extensos e importantes.

Os usuários da ferramenta poderão acessar pastas de conteúdos de grandes veículos jornalísticos como The New York Times e The Guardian. Além disso, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) irá publicar mensalmente duas grandes coletâneas de documentos de interesse público para exame dos usuários.

Há ainda o Mapa de Informações do Google, que é o banco de dados do buscador. São bilhões de fatos sobre pessoas, lugares e coisas, que norteiam as respostas das buscas. Esses dados são checados e corrigidos conforme necessidade. Para o Google, fornecer essas informações aos jornalistas também contribui para o jornalismo sério e o combate às Fake News.

Ajuda para jornalistas

O  Google Pinpoint integra o  Journalist Studio, suíte de aplicações da Google News Initiative. O GNI reúne diversas ferramentas, como programas e treinamentos para jornalistas oferecidos pelo Google. 

Em nota, a gigante da tecnologia disse que o Pinpoint foi disponibilizado para otimizar a rotina nas redações e o tempo dos profissionais de imprensa, reduzindo o período utilizado na consulta a grandes volumes de conteúdos. Dessa forma, contribui para  encontrar boas histórias e construir as melhores narrativas.