É possível ganhar dinheiro com notícias no Google?

A disputa entre jornais e o Google pelo pagamento de notícias segue acirrada e em proporção global. Conforme a pressão aumenta, o maior buscador do mundo se mexe para fechar acordos com os países e evitar mais problemas. Mas, a pergunta que fica é se é mesmo possível ganhar dinheiro com notícias no Google?

A resposta não é tão direta e fica no talvez. Isso porque não há uma regra ou lei que estabeleça o pagamento por notícias que o Google usa no buscador, porém existem acordos vigentes em alguns países. Também está em vigor um programa que remunera jornais e aumenta a visibilidade deles nas buscas. 

Google News Showcase

Lançado no Brasil em outubro de 2020, o Google News Showcase é um recurso lançado para amenizar as disputas pelo pagamento de notícias. Ele possibilita que os jornais participantes personalizem painéis chamados de Destaques, no Google News, sendo pagos por isso.

Apesar de anunciar investimento de US$ 1 bilhão em 200 veículos de seis países, no Brasil apenas 20 jornais foram contemplados. Ninguém divulga os valores pagos aos jornais, mas esta é uma maneira de ganhar dinheiro com notícias no Google.

Vale ressaltar que no contrato firmado com os veículos que aderiram ao Google News Showcase, há uma cláusula impedindo as empresas de cobrar possíveis reparações financeiras na justiça. Caso faça, o contrato é interrompido imediatamente.

Acordos financeiros

Após batalhas, no início de 2021 o grupo de imprensa News Corp, fechou um acordo de três anos com o Google para ser remunerado pelas notícias. O valor do acordo não foi divulgado, mas representa um importante ganho para o setor, considerando que abre precedente para que outros jornais ganhem dinheiro com notícias no Google.

No Brasil ainda não há nenhuma situação grave na Justiça para o pagamento de notícias. A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) está propondo a criação de uma taxação especial às grandes plataformas digitais, através de uma Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (CIDE).

A CIDE teria uma variação gradual entre 0,5 e 5%, dependendo da receita bruta das empresas no Brasil: 0,5% para empresa com receita bruta até R$ 30 milhões; 1%, com receita até R$ 150 milhões; 3%, até R$ 300 milhões; e 5% para receita bruta acima de R$ 300 milhões de reais. Esses recursos devem ser aplicados integralmente em um fundo de fomento do jornalismo, atendendo princípios para ampliação da produção com pluralidade e diversidade.

Disputas judiciais 

A relação do Google com alguns países chegou a níveis mais tensos. Em 2020 a Austrália criou o Código de Negociação para a Comunicação Social. Nada mais é do que uma lei que obriga as gigantes da tecnologia a pagarem pelas notícias. 

O Google pressionou no início bloqueando o serviço do buscador no país, porém cedeu a pressão. Fechou acordo com a empresa Nine Entertainment de 30 milhões de dólares, que fornecerá acesso às notícias produzidas, em diversos formatos. 

Recentemente a briga esquentou na França, com a aplicação de uma multa de 500 milhões de euros ao Google, por não negociar o pagamento de notícias. De acordo com a França a multa decorre do descumprimento de uma decisão de 2020, que determinava a negociação.